Conceito - Consiste na remoção sistemática dos resíduos acumulados, nas sarjetas, guias das calçadas e praças, bem como a catação de resíduos nas áreas verdes ajardinadas. Em Salvador, inclui-se nesta atividade a limpeza das calçadas e passeio. Contudo, conforme o Código de Policia Administrativa, lei nº 5.503/99 art. 45 "Os ocupantes de imóveis urbanos devem conservar limpos e em perfeito estado os passeios de suas residências e estabelecimentos". 

 A varrição das vias e logradouros evita o acúmulo de terra e de material particulado, contribuindo para a segurança do trânsito e redução de derrapagens e colisões. Do ponto de vista da drenagem, a varrição previne a obstrução da rede de águas pluviais e inundações. É parte integrante da atividade de Varrição, as tarefas de Sacheamento e Esvaziamento das Papeleiras  distribuídas ao longo das vias. O sacheamento consiste na remoção da vegetação e ervas daninhas que nascem ao longo das fissuras das calçadas.

 A Varrição pode ser realizada de forma Manual e/ou Mecanizada. A Varrição Manual é executada por equipes de varredores, em um ou mais logradouros, com programação em período regular de tempo, constituindo no setor de varrição. Na execução do serviço são utilizadas ferramentas como: vassoura de piaçava, pá quadrada, sacho, carrinho de mão ou contenedor, além de sacos plásticos para acondicionar a produção. A Varrição Mecanizada é realizada através de equipamento específico, dotados de vassouras e dispositivo de aspersão de água e de recolhimento de resíduos. Essa modalidade de varrição melhor se adéqua a grandes avenidas, com declividade pouco acentuada, pavimentação uniforme e regular. A produtividade média das varredeiras mecânica é de 30km de sarjeta por dia.

 Os varredores recebem fardamento e equipamentos de proteção individual – EPI, compatível com as exigências da atividade e cuja reposição é em função da vida útil do fardamento. Para as equipes que trabalham no período noturno, são utilizadas, por razões de segurança, faixas reflexivas no fardamento.

 

Planejamento - O planejamento da varrição manual requer conhecimento das características físicas e topográficas das vias, do uso e volume de tráfego, do paisagismo e da vocação turística das áreas, corredores de transporte coletivo e seus respectivos pontos, condicionantes estes que definem o turno e a frequência necessária ou que se deseja em cada logradouro. Os setores de varrição são definidos em áreas homogêneas e compatíveis a capacidade de deslocamento dos varredores, podendo estes trabalhar individualmente ou em dupla. Em publicações de projeto identificou-se como parâmetro de planejamento da varrição manual, o valor médio da produtividade entre 1.000m a 2.500m de sarjeta por agente por dia. No dimensionamento de pessoal é comum considerar o quantitativo de 10% do efetivo em atividade como reserva técnica, que visa suprir as faltas e férias.

 

Como a LIMPURB está atuando?

No planejamento da varrição de Salvador é considerada a divisão espacial da cidade em 18 Núcleos de Limpeza – NL, cujos setores são delimitados para equipes individuais de agentes de limpezas. Nas vias que recebem o serviço, a freqüência mínima da varrição é de 3(três) vezes por semana. Nos logradouros de maior fluxo, nas áreas comerciais e turísticas a varrição é diária e, em até três turnos: Matutino (07:00 às 15:20hrs); Vespertino: (13:40 às 22:00hrs); Noturno (22:00 às 5:20hrs). Nos locais com baixo tráfego de pedestres e veículos, e em áreas próximas aos locais de grande movimentação, a varrição é diária em um turno diurno.

Nas vias e logradouros com maior fluxo de pedestres foram instaladas papeleiras nas calçadas. Estas possuem capacidade de 50 litros e são esvaziadas pelos próprios agentes de limpeza que executam o serviço no local. A disponibilização das papeleiras contribui para manter as vias e calçadas limpas, oferecendo o maior nível de conforto ao cidadão.

Os resíduos da varrição são acondicionados em sacos plásticos com capacidade de 100litros e espessura média de 10micras, que são distribuídos em pontos de confinamento ao longo dos setores. A produção da varrição é coletada juntamente com os resíduos domiciliares.

No total são X agentes de limpeza por cada 1.000habitantes em Salvador. A produtividade média da varrição é de 2,33 km/agente/dia.

 

Por convenção do sindicato da categoria o agente de limpeza da varrição recebe o percentual de 20% do salário, a título de insalubridade.