0
0
0
s2sdefault
11.06.2021

Ponto verde transforma área degradada em Monte Serrat

 

Fotos: Jefferson Peixoto / Secom

 

 

 

A Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb) entregou, na manhã desta sexta-feira (11), mais um ponto verde em Salvador, desta vez em Monte Serrat, na Cidade Baixa. A ação faz parte do encerramento da programação pela Semana do Meio Ambiente e transformou um ponto de descarte irregular em um ambiente florido e repleto de mudas de plantas, simplificar o visual e promover o bem estar dos cidadãos.

 

 

 

Presente no local, a vice-prefeita Ana Paula Matos afirmou que o ponto verde é de extrema importância para a cidade, pois transforma toda uma localidade. “Tiram a sujeira, o entulho, muitas vezes bichos e trazem vida, alegria e esperança. Eu já vi escolas, que eram invadidas por ratos, não tenho mais esses problemas devido aos pontos. A ação também trouxe um espaço para as crianças participarem e brincarem ”, relatou.

 

 

 

O projeto é utilizado para solucionar problemas como o não cumprimento, por parte dos moradores do bairro e adjacências, do horário da coleta, fazendo com que haja acúmulo de lixo e entulho no local. O presidente da Limpurb, Omar Gordilho, considera a instalação dos pontos verdes um grande feito para a gestão, pois já foram mais de 90 ações somente no primeiro semestre de 2021.

 

 

 

“Isso reduz o local de descarte no município e traz para a comunidade um jardim que eles abraçam e tomam conta, trazendo melhorias para o meio ambiente e para a região, e todos ficam chegando”, apresentar Gordilho. Segundo o gestor, os locais escolhidos passam por uma pesquisa de aceitabilidade. A partir daí, o resíduo é retirado e são instalados caqueiros, formados por pneus.

 

 

 

Agradecimento – A presidente da Caasah, Celeste Cardoso, agradeceu à Prefeitura pelo feito, já que fica localizado na esquina da instituição. “Vocês não sabem a importância que é para nós, porque trabalhamos com pacientes HIV e o lixo só piora a qualidade de vida deles”.

 

 

 

Moradora do local há 26 anos, a aposentada Dina Ribeiro achou maravilhosa a iniciativa. Ela contou que chegava a acordar de madrugada com barulho de caminhões descartando entulho. “Eu já doei muitas plantas antes para colocar aqui na calçada e tenho muito mais, a exemplo de comigo-ninguém-pode e espada de Ogum. Estou muito feliz, isso aqui é maravilhoso e espero que todos os moradores fiquem de olho”.

 

 

 

Ao lado do ponto verde, já existia um canteiro criado pelo barbeiro e também morador Ailton Carqueija. Ele possui árvores frutíferas a exemplo de bananeiras, e também lamentava a quantidade de lixo e entulho na região. “Aí eu resolvi cercar e colocar umas plantas, e conto com a ajuda de minha esposa e dos demais vizinhos. Agora com o ponto verde, vamos conservar cada vez mais. No entanto, todos têm que ter a consciência de fazer a sua parte e esperamos que todos conservem”.

 

 

 

Demais locais – Outros pontos verdes foram instalados nesta semana, a exemplo do bairro de Santa Cruz, Itapuã, Cassange e Cajazeiras XI. Somente em 2021, já foram 80 pontos instalados, floridos e repletos de mudas de plantas.

 

 

 

Em Brotas, o engenheiro agrimensor aposentado Carlos Henrique Thuillier é um dos responsáveis por conservar o equipamento. Ele disse que, antes das melhorias, o lixo ficava jogado, impedindo até mesmo a passagem de veículos de passeio na via. Desde 2 de março, quando o ponto foi entregue, ele se reveza com outros vizinhos nos cuidados com as plantas.

 

 

 

“A Limpurb colaborou conosco e tirou o container, porque muita gente que nem mora aqui passava de carro e jogava lixo e entulho aleatoriamente. Além disso, a rua era estreita. Agora facilitou muito para nós e faço questão de cuidar e manter o espaço”, disse Thuillier.

 

 

 

Identificação dos locais - Desde 2018, a Limpurb visita como comunidades e estudos os locais, verificando onde os moradores não cumprem o horário da coleta, gerando acúmulo de lixo e entulho e, consequentemente, a formação de um ponto de descarte irregular. Os agentes do órgão contaminado com apoio da própria comunidade na identificação locais lugares.

 

 

A transformação é utilizando, inclusive, pneus usados, que são feitos de caqueiros, e jardineiras, com terra vegetal e mudas. Também são instalados caqueiros de cimento, meios-fios para requalificação de passeios e até bancos doados pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal).